Crer, a divisão entre a sanidade e a loucura.



O salmo 14, na tradução da bíblia Viva, vai direto ao ponto, num poema que logo em seu primeiro versículo já define: “O homem que diz: ‘Deus não existe!’ é completamente louco. O resultado dessa ideia errada é a perda da moral. Quem acha que Deus não se importa com nossa vida é incapaz de fazer coisas boas e certas.”

Só seguimos a Cristo e O adoramos porque cremos. Sem o componente da fé, da crença, simplesmente seríamos dirigidos por vãs filosofias. Seríamos conduzidos pela agenda do mundo em cada item, cultural, político, social, intelectual, emocional, filosófico. Dedicaríamos nossos melhores esforços e talentos, distribuídos indistintamente a todos os homens pela Graça comum, a eventos e caminhos que sempre terminariam em grandes vazios.

Exatamente num grande vazio se meteu a humanidade neste tempo. A grana, a influência, o cargo importante, as armas, os avanços tecnológicos, as artes, absolutamente nada consegue resolver a equação deste momento. Ricos e pobres, seja qual for a raça, a cor, a preferência, nada mais importa, a luta que todos estão lutando agora é a mesma: sobreviver. Manter-se vivo é a voz de comando no interior de cada coração.

Vivemos em meio a uma sociedade em grande parte afetada pelas perdas morais, fruto de uma vida com escolhas que desconsideram a existência de Deus, como bem escreveu o salmista. E quando a moral se evapora nos relacionamentos o que impera é um sistema de prazer que determina o vale tudo. Dá prazer? Satisfaz paixões? É o que o desejo definiu como certo? Dá vantagem? Atende as caprichos do ego? Então, tá valendo. Basta partir pra realização e ser feliz, afinal, como se afirma numa ladainha cansativa, “ninguém merece ser infeliz, nascemos para brilhar, para sermos felizes...”

Só que não. Escolhas imorais, sem uma moral clara sobre o bem e o mal, o certo e o errado, o verdadeiro e o falso, levam ao caos e a infelicidade, é só uma questão de tempo, pois as falhas e os buracos vão cedendo, vão rompendo, vão sendo escancarados, até que águas violentas, poluídas, contaminadas, vão entrando e afogando todas as utopias imorais que foram romanticamente sonhadas, mas realisticamente ignoradas quanto as suas fragilidades e deficiências.

Deus existe e se importa. Fuja da loucura de descrer e abrace a sanidade da alma que crê, só assim manteremos a saúde emocional nestes tempos tão desafiadores que se impuseram sobre nós. O Senhor está perto, deve e pode ser invocado, ainda é tempo de achá-lo, de nos encontrarmos com Ele. A fé viva, inteligente, bíblica, será a grande diferença para este tempo. É com esta fé em Cristo que a igreja seguirá firme, intercedendo com ousadia por seus governantes, seus cientistas, seus líderes. A oração de cada justo continua podendo muito em seus efeitos. Paz!

Edmilson Mendes

11 visualizações