Vivendo a história



Muitos cresceram ao sabor de histórias contadas pelos pais. Sempre foi uma hora aguardada, deitar e ouvir histórias incríveis e ter a imaginação aguçada, provocada, estimulada. Na escola, nos primeiros anos, logo descobrimos que outras histórias também estavam lá. Avançando nos estudos confirmamos que a matéria sempre foi indispensável, história, aquela aula que vai nos mostrando os caminhos que nossos precursores escolheram para chegarmos onde chegamos. 

Para os que praticam uma fé e se ajuntam em grupos de comunhão, o livro normativo dos seguidores de Cristo, a bíblia, apresenta um conteúdo repleto de narrativas com histórias espetaculares, umas singelas, simples, humildes, outras grandiosas, imponentes, admiráveis. O fato é que crendo ou não, com ou sem igreja, crescemos inundados por histórias da família, da fé, do país, do mundo.

Ouvir nossos avós contarem sobre os tempos de guerra prendia nossa atenção. As pragas do Egito faziam nossos olhos arregalarem. A abertura do mar vermelho causava admiração. O menino sem armadura derrubando o gigante era como aquele gol fatal dando o título mundial pra nossa seleção. Conhecer a estratégia e os fatos sobre o Dia D prendiam nosso fôlego. Ouvir sobre o naufrágio do Titanic inundava nossos olhos de lágrimas. Imaginar o profeta toda uma noite cercado por leões famintos dentro de uma cova causava pavor. Histórias, alimentaram nossa cultura, ampliaram nosso conhecimento, ajudaram a formar nossa visão.

O status agora mudou. Estamos vivendo a história. Cada um está escrevendo a história deste tempo que será contada no futuro. Gente que viveu, que estudou, que pesquisou a fundo o tema, já afirma que a pandemia atual traz reflexos e consequências piores e acima do que foi na segunda grande guerra. Isso significa dizer que aqueles que sobreviverem, no futuro, quando seus netos ou filhos perguntarem sobre o que foi a pandemia causada pelo covid-19 em 2020, que colocou o mundo em isolamento e quarentena, poderão falar de uma história que vivemos, que sentimos, que sofremos.

Então preste atenção aos detalhes, aos fatos, as informações. Vença a preguiça e pesquise, leia diversas opiniões, procure fontes sérias, a fim de entender este tempo. E o principal, confie em Deus, espere em Deus, busque nEle as melhores decisões e os melhores caminhos. Salmo 25:14 afirma que “o segredo do Senhor é para aqueles que o temem”. O povo de Deus jamais ficará desamparado. Uma história está sendo escrita, está mudando a face do mundo, muitas coisas ainda não compreendemos, mas o Senhor consolará e revelará ao seu povo tudo o que interessa sobre esta história, na medida e na hora certa.

Henry Ford dizia que “A única história que vale alguma coisa é a história que fazemos hoje”. Interpreto a frase dele como a importância de sermos atores ativos no desenrolar da história, e não apenas meros espectadores. Esta pandemia nos colocou nesta dimensão, cada ator nesta história que estamos vivendo tem de desempenhar bem o seu papel, só assim teremos a chance de um final minimamente feliz. Um ator principal? Não tem. Todos nós somos principais na história que está sendo escrita. Mas existe o Diretor que guia nossa história, Ele sim, absolutamente soberano em cada ato até a cena final, nosso Cristo, o Senhor do tempo e da história, dará o desfecho perfeito e tão aguardado por sua igreja. Maranata!


Edmilson Mendes

11 visualizações
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle